Bariloche – Post 1 – Os preparativos: vôos e hotel

Depois de um tempinho parado, o penaestradacomdonamaricota volta com uma viagem fresquinha: Bariloche – primeira semana de setembro. Foram dias incríveis e restauradores em família, que vou tentar detalhar o máximo nos próximos posts, deixando a maior quantidade possível de dicas.


Os Vôos

Infelizmente, atualmente as opções de empresas aéreas que voam para Bariloche são poucas (LAN, TAM e Aerolíneas Argentinas), então, não encontramos grandes ofertas (nem de preço nem de bons horários). Fora da alta temporada, não há vôos diretos, assim, optamos por vôos com conexão em Buenos Aires (Ezeiza), com tempo de espera de cerca de 3h. Pode parecer muito, mas, dependendo da hora que você viajar, considero esse um bom intervalo de espera para voos internacionais, pois, além de te dar um bom tempo pra passar pela imigração e comer alguma coisa no aeroporto, pode evitar perder a conexão em caso de atraso do primeiro vôo, que foi o que aconteceu no nosso retorno.

Nossa ida foi supertranquila. Ambos os vôos partiram sem atrasos e foram bem tranquilos. As duas companhias aéreas tem o mesmo nível de conforto. Nada demais. A LAN dá um kit com revisitinha e lápis pras crianças, o que não rolou na TAM. Também não tem TV individual. Então, é bom levar distrações pros pequenos.

Já o nosso retorno… Começamos com um atraso de 2 horas no vôo Bariloche – Buenos Aires. Se não fosse o tempo de espera da conexão, certamente teríamos perdido o voo. Como se não bastasse o atraso, na chegada à Buenos Aires pegamos uma super turbulência e Dona Maricota ficou apavorada (“mamãe, eu não tô bem! Vamos fazer Papai do Céu?”), tadinha … Além disso, o piloto não conseguiu pousar na primeira tentativa, por conta dos fortes ventos.., A conclusão foram 3 loucos correndo pelo aeroporto pra não perder o voo. Agora, imagina que pecado passar correndo pelo Freeshop do Ezeiza sem poder dar nem uma paradinha …

Dica1: se você voar TAM/LAN, ao despachar suas bagagens, peça para que elas sejam enviadas para o destino final (particularmente na volta), caso contrário você terá que perder mais tempo despachando-as novamente na conexão. Se não tivéssemos feito isso na volta, certamente perderíamos o voo. Outra questão é que o terminal do Ezeiza que faz voos domésticos (Buenos Aires – Bariloche, por exemplo), fica a uns 500m do terminal de voos internacionais. Ninguém merece ter que andar com criança e malas …

Dica2: procure fazer o checkin online, E ESCOLHER OS SEUS ASSENTOS. Não fizemos isso no retorno e, no voo Buenos Aires-RJ, nos colocaram em assentos separados. Se não fosse a boa vontade de um casal brasileiro, teríamos que viajar no último assento… Alíás, nota ZERO pra LAN e pra TAM nesse sentido.

Hotel

Bariloche tem muitas opções de hospedagem, pra todos os gostos e bolsos. Basicamente você pode optar por ficar em hotel no Centro ou no Lago Nahuel Huapi. A vantagem de ficar no Centro é que não vai precisar de carro pra circular por lá, pois o Centro é pequeno e pode ser feito todo caminhando. Já à beira do lago os hotéis são mais aconchegantes e a vista é incrível, sem contar que você fica mais distante do burburinho. Por outro lado, precisa pegar tranporte quando quiser ir ao Centro. Depois de muito pesquisar, optamos por um hotel no Lago, a cerca de uns 2km do Centro, o que dava uns $30 de remis (táxi pré-tarifado). E não nos arrependemos.

Ficamos no hotel Villa Huinid Pioneros, um hotel novinho em folha (inaugurado em julho/2013), que fica no mesmo terreno dos seus “irmãos”, o Villa Huinid Cabanas e o Villa Huinid Bustillo.

Pioneros - O irmão mais novo no Villa Huinid

Pioneros – O irmão mais novo do Villa Huinid

Fachada do hotel

Fachada do hotel

Área da recepção

Área da recepção

Ficamos em um quarto triplo, no segundo andar, com vista para o lago (1218). Excelente tamanho, super bem decorado, vista incrível para o lago e montanhas nevadas, uma cama de casal enorme e mais uma de solteiro, calefação funcionando super bem, ótimo chuveiro e banheira pra quem quiser relaxar, internet funcionando super bem no quarto. Só não era perfeito por não ter frigobar. Mas o tempo estava tão frio que acabou não fazendo falta, pois deixávamos as bebidas na varanda e estavam sempre geladinhas rsrsrs.

Vista incrível do nosso quarto

Vista incrível do nosso quarto

E esta é a vista lateral. Não tinha como não relaxar ...

E esta é a vista lateral. Não tinha como não relaxar …

Quarto muito bom

Quarto muito bom

Banheiro pequeno mas funcional

Banheiro pequeno mas funcional

O restaurante é simples mas serve um bom café da manhã (apesar dos itens não variarem dia nenhum) com pães, bolos, biscoitos, frutas, cereais etc. O restaurante não serve outras refeições, mas o restaurante do outro huinnid serve e a comida é gostosa e com preço justo.

Além disso, tinha uma boa piscina coberta e aquecida com uma banheira de hidro super quente, perfeita pra relaxar depois de um dia brincando na neve.

Piscina com hidro pra relaxar

Piscina com hidro pra relaxar

Pequena sala de jogos que funcionam colocando moedinhas de peso

Pequena sala de jogos que funcionam colocando moedinhas de peso

Destaco o atendimento do funcionário Guido que foi muito atencioso e nos deu muitas dicas de onde comer, passear, indicou serviços de aluguel de roupa de ski que vai ao hotel, remises, etc. Um funcionário como ele, em um lugar que não conhecemos bem faz toda a diferença.

Enfim, indico o hotel sem medo. Pra ficar perfeito só falta o frigobar no quarto.

Ah! Fechamos vôo e hotel na Decolar. Deu tudo super certo! É a segunda vez que fechamos uma viagem internacional na Decolar, por nos apresentar a melhor opção de preço, e nas duas vezes não tivemos problema algum.

Próximo post: dicas – o que vestir, como se locomover e que moeda levar.

Mais informações sobre este destino:
Bariloche – Post 2 – O que vestir, como se locomover e que moeda levar
Bariloche – Post 3 – Piedras Blancas
Bariloche – Post 4 – Cerro Otto – Confeitaria giratória, skibunda e galeria de arte
Bariloche – Post 5 – Passeio de quadriciclo e patinação no gelo
Bariloche – Post 6 – Isla Victoria e Bosque de Arrayanes
Bariloche – Post 7 – Bar de Gelo
Bariloche – Post 8 – Esqui nórdico e museu do chocolate
Bariloche – Post 9 – Cerro Catedral

Anúncios

8 opiniões sobre “Bariloche – Post 1 – Os preparativos: vôos e hotel

  1. Achei bem objetivo e esclarecedor seus posts, parabéns mesmo, tirou quase todas as duvidas que eu e minha esposa tinhamos, iremos com uma filha de 12 anos e um de 3 anos, vi que da para aproveitar o passeio com eles tranquilamente, claro sempre bem agasalhados kkkkkk, se puder me esclarecer so uma duvida que ficou, quanto levar de dinheiro? Tirando hotel e passagem, ficam praticamente os passeios e refeições… meu email é leandre_mantoan@hotmail.com
    Obrigado!!!

    Curtir

    • Oi! Vou te dar a mesma resposta que dei a outra pessoa que fez essa pergunta aqui no blog: quanto levar depende do que você quer fazer de passeios, se você vai comprá-los lá ou se vai sair daqui com eles pagos, do seu hábito de alimentação, se vai se locomover de remis ou não… Procure pesquisar com as empresas locais os preços dos passeios, assim dá pra vc ter uma ideia de qto vai gastar com isso. Qto a alimentação, considere mais ou menos o que vc gasta em uma cidade tipo RJ/SP. Agora, uma coisa é certa, leve dólar e troque por pesos no comércio de lá. Leve daqui uns poucos pesos só pra garantir traslado e um lanche no aeroporto. Boa viagem!

      Curtir

  2. Querida estava na expectativa do seu primeiro Post desta viagem, os quais vou ler muitooo detalhadamente e aproveitar todas as dicas, pois estamos à longo tempo com desejo de conhecer Bariloche.
    Grande beijo tia Keu e Sergio
    P.S.: as fotos estão maravilhosas!

    Curtir

      • Acabei de ler seu Post, quantos dias você acha ideal para curtir razoavelmente? Ficando no lago que são 2 km da cidade, acredito que eu e Sergio que andamos bem não tem problema de ir caminando, o que voce acha? Pois gostei da vista do hotel é belíssima. Bjs

        Curtir

      • Tia, ficamos 5 dias (sem contar o de chegada e retorno) e foi pouco, quer dizer, deixamos de fazer alguns passeios. Mas considere que fizemos tudo com calma, pois gostamos de curtir o local sem pressa. Acho que uns 7 dias inteiros são suficientes.
        O problema de ir andando até o Centro é o frio. Venta muito e a sensação térmica cai bastante. Se vocês não forem no inverno, dá pra caminhar tranquilo. Também existem outros hotéis a beira do lago mais próximos do Centro.

        Curtir

Gostou do post? Tem alguma dúvida ou dica? Deixe seu comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: