Foz do Iguaçu – Post 1 – Onde ficar e outras dicas

Taí uma viagem que me surpreendeu. Optei por Foz do Iguaçu pela oportunidade: passagem barata e hotel com bom preço. Mas a viagem acabou sendo uma grata surpresa. Ficamos 5 dias por lá, tempo mais que suficiente pra visitar as principais atrações e descansar MUITO. Lembrando que nosso objetivo era descansar e conhecer as cataratas.

Hotel

A cidade tem basicamente 3 opções de hospedagem: no centro,  na “estrada” ou nas cataratas. Os hotéis do centro são bem mais simples, mas são mais baratos e ficam mais perto de tudo. Acho uma boa opção pra quem quer bater perna, conhecer tudo, aproveitar todos os passeios, ir às compras e só voltar ao hotel pra dormir. No outro extremo estão os hotéis luxuosos e caríssimos localizados nas cataratas (Hotel das Cataratas e Bourbon), totalmente fora das nossas po$$ibilidade$.

Considerando nosso orçamento, objetivo e o fato de estarmos com a pequena, optamos por um hotel com estrutura, na “estrada”. Ficamos no Recanto Park Hotel. O hotel tem pinta de resort, mas com preços beem melhores. É grande, com áreas comuns muito bonitas. Quarto grande, camas confortáveis, tudo super limpo! A piscina é MARAVILHOSA. Tanto que, nos dias em que não fomos para as cataratas, dispensamos as compras no Paraguai para ficarmos até às 20h “de molho”, relaxando. Estava um caloooor daqueles (dezembro). Dona Maricota aproveitou MUUITO. Também tem play e sala de recreação pros pequenos e os “tios” (recreadores). Na época em que fomos, estavam construindo um spa no subsolo. Muito bom!

Entrada do hotel

Entrada do hotel

Restaurante visto da piscina do hotel

Restaurante visto da piscina do hotel

Sona Maricota curtiu muito a piscina.

Dona Maricota curtiu muito a piscina.

E a mamãe também ...

E a mamãe também …

Mas, como nem tudo é perfeito, tenho dois “poréns”:

– O café da manhã está incluído na diária, mas as demais refeições são caras, pelo menos pra variedade que oferecem que é pouca e não tão boa pras crianças. Nos dias que não fizemos passeio de dia inteiro, optamos pelo seguinte: na hora do almoço pedíamos um lanche na piscina – além de sanduíches simples, tinha alguns bem incrementados, além de filezinho, isca de peixe, batata frita etc etc etc –  e jantamos no shopping que fica à 5 minutos de táxi. Sem contar os achocolatados, Ades, sucrilhos e outras coisinhas que compramos no shopping, no dia que chegamos.

– O hotel fica longe do centro. Assim, se você não estiver de carro, terá que usar taxi ou traslado. Foi o nosso caso.

Transporte

Quem for fazer vários passeios, acho que vale contratar os traslados com uma empresa. Existem algumas que oferecem várias opções de passeios na região, incluindo compras no Paraguai.

Tem quem prefira alugar um carro e transitar por conta própria, mas ouvi dizer que talvez não seja uma boa ideia, principalmente pra quem está interessado nas compras. No hotel, ouvi algumas pessoas comentando que carros particulares são muito visados, tanto para roubo quanto para golpes, além de ser muito difícil estacionar. Também ouvi dizer que os carros particulares costumam ser parados com mais frequência pela Polícia Federal. A não ser que você conheça ou esteja acompanhado de alguém que conheça bem a região, melhor não arriscar.

Nós utilizamos traslado da Loumar Turismo pra ir e voltar do aeroporto. Eles foram bem pontuais e os veículos eeram bem adequados para os traslados. Eles tem vários pacotes de passeios, inclusive compras, mas não utilizamos, por pura falta de pesquisa anterior à viagem… Ou seja, demos bobeira.

Pra fazer os passeios às Cataratas, utilizamos traslado de uma agência que fica no próprio hotel. Não gostei muito, pois, em um dos passeios, tivemos que dividir um carro comum com mais um casal e ficou meio apertado, pois tive que levar Dona Maricota no colo. Além disso, no meio do caminho de ida, o casal viu que tinha esquecido a identidade e tivemos que voltar ao hotel, do contrário não poderiam atravessar a fronteira. E eles ainda atrasaram a nossa volta … Fica a lição: pesquise antes as opções e valores de passeios e evite surpresas desagradáveis como essa.

Para ir ao freeshop, utilizamos o traslado gratuito oferecido pelo hotel. O horário é preestabelecido e você precisa marcar com 1 dia de antecedência na recepção do hotel.

Importante: ande sempre com um documento de identidade recente com foto (RG ou passaporte), pois, nas fronteiras (tanto Paraguai quanto Argentina), pode ser solicitado. Nós fomos parados e precisamos mostrar nossos documentos. Para mais informações importantes, clique aqui.

Próximo post: nosso passeio às cataratas do lado brasileiro e Parque das Aves.

Mais informações sobre este destino:
Foz do Iguaçu – Parte 2 – Cataratas brasileiras e Parque das Aves
Foz do Iguaçu – Post 3: Cataratas argentinas e compras no freeshop

Anúncios

2 opiniões sobre “Foz do Iguaçu – Post 1 – Onde ficar e outras dicas

  1. Pingback: Foz do Iguaçu – Post 3: Cataratas argentinas e compras no freeshop | Pé na estrada com Dona Maricota

  2. Pingback: Foz do Iguaçu – Parte 2 – Cataratas brasileiras e Parque das Aves | Pé na estrada com Dona Maricota

Gostou do post? Tem alguma dúvida ou dica? Deixe seu comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: